O Brasil tem um dos maiores problemas nesse aspecto. De acordo com a OCDE, usando dados de 2014, o salário anual médio de um professor nos anos iniciais é de R$ 39 mil*, enquanto R$ 99,4 mil* é a média dos demais países. Assim, o salário médio do professor brasileiro seria 36% da média da OCDE. Adaptado para 2017, o piso se desvalorizou ainda mais em relação ao dólar: são R$ 27.957 ao ano, o que diminui o percentual para 28,2% da média.

A meta 17 do Plano Nacional de Educação diz:

Valorizar os(as) profissionais do magistério das redes públicas da Educação Básica, a fim de equiparar o rendimento médio dos(as) demais profissionais com escolaridade equivalente, até o final do 6º ano da vigência deste PNE.”

De acordo com os pressupostos da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, além da remuneração, carreira digna, gestão democrática e qualificação profissional. O compromisso necessário dos gestores públicos em valorizar a educação precisa contar com a parceria das organizações da sociedade civil.

Na Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho, todos os anos, o Prêmio RBS de Educação é promovido para mostrar à sociedade quais são os professores que tiveram projetos de destaque nas suas áreas. Além disso, vamos promover a valorização dos profissionais trazendo à luz as suas demandas e as suas iniciativas de boas práticas. Nosso trabalho, assim, será mostrar para a sociedade o que os professores fazem de melhor, e quais são os caminhos da gestão pública para valorizá-los.

*cotações do dólar de 15/08/2017

Saiba mais


Um prêmio à paixão por ensinar

 

Prêmio RBS de Educação – Para Entender o Mundo dissemina exemplos como o da professora Maria Alice Gouvêa Campesato, que levou a comunidade de uma escola na periferia de Porto Alegre a embarcar na viagem da leitura. Há cinco anos, a distinção incentiva as práticas de educadores que abrem as portas da leitura a um país com 27% de analfabetos funcionais.

 

por Ana Carolina Bolsson
fotos: Letícia Zulhan
vídeos: Jhonny Marco Filmes

Projetos

Notícias